© 2017 CURTA BOTAFOGO | Direitos reservados | Reprodução autorizada desde que citada a fonte. 

  • Facebook Social Icon

POSTS RECENTES: 

22.10.2019

Please reload

INGLÊS SOB MEDIDA

AULAS PARTICULARES

Amazônia em Botafogo

 

A Galeria Aliança Francesa inaugura no dia 12 de setembro, em Botafogo, a exposição fotográfica “Idílio”, com 36 imagens do fotógrafo paraense Rogério Assis, que retrata o cotidiano das relações socioambientais de ribeirinhos do Pará. O trabalho é resultado de uma imersão na Comunidade Boa Esperança, localizada na região de Curralinho, na Ilha do Marajó (PA) e faz parte da temática do meio-ambiente adotada na programação cultural da Aliança Francesa Rio de Janeiro ao longo deste ano.

 

Num momento em que a floresta amazônica sofre com queimadas, desmatamento, violência contra os povos originários e descaso dos políticos, nada mais oportuno do que trazer o olhar generoso e curioso de Rogério Assis sobre o que a vida comunitária das populações ribeirinhas da Amazônia tem de delicada.

 

Segundo Assis, mais do que uma exposição de fotos, "Idílio" propõe uma reflexão sobre a organização social dessa comunidade extrativista, sua relação com a natureza generosa e em constante perigo e de que forma podemos assimilar e aplicar os efeitos positivos das ações comunitárias e colaborativas. "As vinte famílias da comunidade Boa Esperança representam um microcosmo da realidade das populações ribeirinhas da região amazônica e, mesmo sendo um dos seus grupos mais característicos ao lado dos indígenas, há poucos registros documentais fotográficos dos seus hábitos e cultura", revela o fotógrafo. Com sua economia baseada no extrativismo, Boa Esperança sobrevive do açaí, da mandioca, do camarão e pescados – extraídos com extremo cuidado ambiental –, e mantém as tradições que caracterizam a cultura ribeirinha da região.

 

Para a antropóloga e curadora Georgia Quintas – que ao lado de Alexandre Belém, assina edição, narrativas e expografia da mostra –, "as fotografias ajudam a compreender que a dimensão social pode ser vista em seus fluxos de subjetividade e representações. E nesse limiar, entre o dia e a noite profunda sob águas escuras, que a documentação fotográfica-antropológica de Rogério Assis congrega a sinergia entre a vida ribeirinha e a visão poética de se estar dentro dela. A fotografia elegante e precisa de ‘Idílio’ apresenta-se ora como as coisas são na realidade, ora como são num sonho pleno de delicadezas entre a natureza e o ser humano”.

 

A exposição "Idílio" tem entrada gratuita e fica aberta ao público até 8 de novembro de 2019.

 

O fotógrafo

 

O paraense Rogério Assis iniciou sua carreira em 1988 documentando etnias indígenas para o Museu Emilio Goeldi, em Belém. Em São Paulo, para onde foi a convite da Agência Angular, teve passagens pela Agência Estado e Folha de São Paulo, onde foi correspondente em Nova York, período em que graduou-se no laboratório de mídia digital do ICP – International Center of Photography. Participou da criação do Fotosite, exercendo o cargo de Diretor Editorial, e do caderno Casa E, suplemento dominical do jornal O Estado de São Paulo. Em 2008, fundou a Mandioca, editora que publicou a revista Pororoca voltada exclusivamente para temas relacionados à Amazônia. Colaborador de diversos projetos editoriais, ele destaca em seu portfólio o livro “D.Brazi – Cozinha Tradicional Amazônica”, em parceria com a editora BEI, e o livro “Zo'é”, publicado pela Terceiro Nome, “MATO?”, lançado pela Editora Olhavê e “Viagem ao Sul do Real”, com a Editora Origem. Atualmente, integra o conselho curador da DOC Galeria, em São Paulo, além de ministrar workshops sobre fotografia documental e colaborar com as ONGs Greenpeace e Instituto Socioambiental (ISA).

 

 Serviço:

 

Exposição fotográfica IDÍLIO, por Rogério Assis

 

Local: Galeria da Aliança Francesa - rua Muniz Barreto 746

Período: de 12 de setembro a 8 de novembro de 2019

Horário: de segunda a sexta, das 10h às 19h; sábados, das 8h às 12h

Entrada gratuita.

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload