© 2017 CURTA BOTAFOGO | Direitos reservados | Reprodução autorizada desde que citada a fonte. 

  • Facebook Social Icon

POSTS RECENTES: 

22.10.2019

Please reload

INGLÊS SOB MEDIDA

AULAS PARTICULARES

Tem uma vírgula fora da ordem

31.08.2017

 

 

Um dos princípios básicos para o bom uso da vírgula é saber que ela não pode separar o sujeito do predicado numa oração. Ah! Você esqueceu o que é sujeito? Não faz ideia do que é predicado?

 

Sujeito e predicado são dois termos essenciais de uma oração. “Sujeito é o ser do qual se diz alguma coisa. Predicado é aquilo que se declara do sujeito, ou melhor, é o termo que contém a declaração, referida, em geral, ao sujeito”, pela definição do mestre Domingos Paschoal Cegalla.

 

Para simplificar:

 

– Sujeito é o termo sobre o qual o restante da oração diz algo.

– Predicado é o termo que contém o verbo e informa algo sobre o sujeito.

 

Exemplos:

 

João chegou ao país nesta manhã.

A casa de Maria está em ruínas.

Ela era a moça mais bonita da festa.

Isto é um absurdo!

Viajar é uma maravilha!

 

As palavras em negrito são os sujeitos das orações, as outras são os predicados.

Estaria errado colocar uma vírgula depois dos sujeitos, mas foi, justamente, o que fizeram na faixa da fotografia acima.

 

 

O sujeito é “O Rio”; o predicado, “está com você”. Logo, essa vírgula foi muito mal utilizada. O certo seria: “O Rio está com você”.

 

E mais: deveria haver uma vírgula depois de “Bretas”, que é o vocativo. O vocativo é o termo usado para chamar ou interpelar alguém; ele sempre se refere à 2ª pessoa do discurso.

 

Resumindo: para estar gramaticalmente correta, a frase deveria estar escrita assim: “Bretas, o Rio está com você”.

 

Custo a crer que Caetano, que conhece bem a língua portuguesa, tenha deixado passar essa.

 

* Carla Paes Leme é jornalista, revisora e dá aulas particulares de gramática desde a juventude. Atualmente, cumpre, diariamente, a missão dada, do Além, por Machado de Assis: preservar o Português, que, ao menos em Botafogo, há de ser imortal.

 

Artigos anteriores

 

Missão dada é missão cumprida

Mas eu quero é mais

Salvem o Português! Devolvam suas preposições!

Venha para aula você também, venha!

Para não confundir a fruta com a cor

Conjunção perifrástica não é palavrão

"Mim" não faz nada; quem faz sou "eu"

A partir de agora você não errará mais

Usar mal o acento agudo é grave?

Estrangeirice à portuguesa

Bom é não confundir mau com mal

Andanças: onde ou aonde?

Meu nome é trabalho

Português maluco beleza

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload