© 2017 CURTA BOTAFOGO | Direitos reservados | Reprodução autorizada desde que citada a fonte. 

  • Facebook Social Icon

POSTS RECENTES: 

22.10.2019

Please reload

INGLÊS SOB MEDIDA

AULAS PARTICULARES

Andanças: onde ou aonde?

02.08.2017

 

 

Você já se pegou em dúvida entre usar “aonde” ou “onde”? Se você nunca teve dúvida, espero que tenha sido por saber que “aonde” só se usa ao lado de verbos de movimento, que peçam a preposição “a”. Ao contrário, “onde” é adequado a verbos que indicam permanência e que se constroem com a preposição “em”.

 

Então, vamos aos exemplos:

 

Aonde você vai?

 

Ele chegou aonde queria.

 

Os verbos “ir” e “chegar” nas frases acima pedem a preposição “a”: ir a algum lugar, chegar a algum lugar. E por isso o uso de “aonde” é o correto.

 

Onde você mora?

 

Fique onde está.

 

“Morar” e “ficar” são verbos de permanência, não de movimento. Morar em um lugar, ficar em um lugar. Portanto, o uso do “onde” é o certo.

 

Só mais uma observação. Quando o verbo indica movimento, mas já está acompanhado de uma outra preposição, aí, então, não há necessidade do “a”.

 

Vou até onde você deixar.

 

Para onde vamos?

 

De onde você veio?

 

Siga por onde você achar melhor.

 

E aí? Suas dúvidas acabaram? Ou você simplesmente ratificou suas certezas?

 

Então, vou fechar com um verso de “Andança”, sucesso na voz de Beth Carvalho, de autoria de Edmundo Souto, Danilo Caymmi e Paulinho Tapajós.

 

“... Por onde for, quero ser seu par...”

 

Isso é que é letra de música bem cuidada!

 

* Carla Paes Leme é jornalista, revisora e dá aulas particulares de gramática desde a juventude. Atualmente, cumpre, diariamente, a missão dada, do Além, por Machado de Assis: preservar o Português, que, ao menos em Botafogo, há de ser imortal.

 

Artigos anteriores

 

Missão dada é missão cumprida

Mas eu quero é mais

Salvem o Português! Devolvam suas preposições!

Venha para aula você também, venha!

Para não confundir a fruta com a cor

Conjunção perifrástica não é palavrão

"Mim" não faz nada; quem faz sou "eu"

A partir de agora você não errará mais

Usar mal o acento agudo é grave?

Estrangeirice à portuguesa

Bom é não confundir mau com mal

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload