© 2017 CURTA BOTAFOGO | Direitos reservados | Reprodução autorizada desde que citada a fonte. 

  • Curta Botafogo

TGB renovando Botafogo

Atualizado: Jan 13


Rua Nelson Mandela nº 100

Com mais de 400 propriedades no Rio de Janeiro e em Nova York, a TGB Imóveis vem investindo em lojas de rua em Botafogo, fazendo história e deixando sua marca no bairro, em lugares como a rua Nelson Mandela – que, no trecho entre São Clemente e Voluntários da Pátria, é um dos pontos de encontro mais badalados do bairro, com bares lotados quase todas as noites – e a Praça Nelson Mandela – onde ficam o metrô e a Unidade de Pronto Atendimento (UPA) –, espaço de lazer e convivência da comunidade.


Tudo isso se deve à TGB Imóveis, empresa fundada pelo empresário Rogério Chor em 2005, que foi a responsável pela construção do número 100 da rua e é proprietária de várias lojas do empreendimento, alugadas para bancos, farmácias, padaria, bares e restaurantes. Por meio de uma parceria com o poder público, a TGB também construiu a rua e reformou a praça, inaugurada em 2011, no terreno que, durante muitos anos, serviu de canteiro de obras do metrô.


O interesse pelo bairro é antigo, desde a época em que Rogério estava à frente da CHL Construções e Incorporações, gigante da construção civil carioca que ele fundou em 1979 e vendeu em 2006, um ano após a criação da TGB. Fazem parte desse legado os edifícios 190 da rua Real Grandeza, 182 da São Clemente, 206 da Praia de Botafogo, 75 e 101 da rua da Passagem, 107 da Barão de Lucena, 246 da Voluntários da Pátria,

185 da Dona Mariana e 366 da Muniz Barreto.


A nova empresa nasceu com foco em “investir em imóveis com potencial de crescimento no Rio de Janeiro e em Nova York”, especialmente lojas comerciais localizadas em calçadões e em ruas de grande movimento. A proposta é maximizar o potencial de locação por meio de parcerias de longo prazo. O patrimônio da TGB em Botafogo inclui diversas lojas, além das já citadas na rua Nelson Mandela. Na Voluntários, são da TGB as lojas do KFC, da Leader, do Bradesco e as quatro do número 53. E ainda tem a do Shopping Matriz, na rua Professor Álvaro Rodrigues 176.


A sigla TGB foi uma homenagem do empresário aos filhos Tomer, Guili e Beny. Para o economista Guili Chor, único fi lho de Rogério que atua na empresa, o bairro tem um enorme potencial: “Botafogo tem boa infraestrutura de serviços e áreas disponíveis para construção. É também um lugar perfeito para morar: tem grande variedade de excelentes creches e escolas; farta oferta de transportes e é o bairro mais descolado do Rio de Janeiro, o que é ótimo atrativo para o público jovem”, justifica Guili. Além disso, o bairro sempre teve comércio de rua forte, justamente o foco da TGB, que não se interessa por lojas em shoppings. “Os shoppings dependem de lojas-âncora para garantir um bom fluxo de pessoas. Já as lojas de rua dependem, basicamente, do adensamento populacional, que garante a circulação de pessoas”, explica.


Gente é o que não falta em Botafogo, e o comércio de rua é a cara do bairro desde o início do século XX, quando as primeiras vias foram abertas nas velhas chácaras, para dar passagem aos bondes e aos novos moradores. Vieram, então, escolas, casas de saúde e todos os serviços que garantem qualidade de vida à população.


Botafogo é assim: um lugar onde o tradicional é moderno, aposentados convivem com jovens empreendedores, e a cultura resiste nos cinemas de rua e nas praças. Um bairro onde o passado é presente e onde se constrói o futuro. A TGB faz parte dessa história.




91 visualizações